Leslie Stovall é o novo advogado de Kathryn Mayorga, a ex-modelo que está a acusar Cristiano Ronaldo de a ter violado no verão de 2009, em, Las Vegas. O advogado mostra-se muito empenhado em provar a verdade da sua cliente, mas revela, agora, um retrocesso na investigação policial.

Quando, em 2009, no dia seguinte ao evento, Kathryn apresentou queixa na polícia e foi examinada no hospital, a então modelo teria entregado o vestido e as cuecas que usava, no momento da alegada violação, à polícia. No entanto, tanto o vestido como a roupa interior da americana desapareceram. A polícia teria perdido essas provas, de acordo com o Correio da Manhã, o que poderá comprometer a investigação da polícia.

Além disso, o advogado lamenta ainda que a polícia não tenha guardado, ou tenha apagado, as declarações de Kathryn nessa queixa. Apesar de tudo, Leslie Stovall está convencido que tem provas suficientes para incriminar Cristiano Ronaldo, e que tem ainda muito trabalho pela frente.

Para começar, avisa, desde já, que na próxima semana vai apresentar novos documentos muito relevantes para o processo. Entretanto, vai continuar a procurar mulheres que tenham contactado mais intimamente com o jogador português, particularmente em 2009.

Irina Shayk, Gemma Atkinson, Paris Hilton ou Kim Kardashian poderão ser chamadas a tribunal, para deporem. "As ex-namoradas conhecem bem a sua conduta e isso poderá ser fundamental para perceber o comportamento de Ronaldo, o que será vital para o nosso processo. Quero falar com qualquer mulher que o conheça intimamente", revelou o advogado de Mayorga, em declarações ao ‘Sunday Mirror’.

O advogado continua ainda à procura de uma mulher que acusou Ronaldo de violação, em 2005, e entretanto já foi contactado por outra mulher, alegadamente violada pelo craque da Juventus. Stovall vai tentar reunir mais provas contra Cristiano Ronaldo, num processo que continua muito longe do final.

Fonte: google
Crédito da foto: Google